Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

Vai...

 

 

 

 

Vai para, o sitio do costume,

 

Vai brincar na areia,

 

Não ateies esse lume

 

Que me corre na veia.

 

Estou de momento ocupado

 

E em estado ausente,

 

Tenho amor em todo o lado

 

E uma coisa bem presente:

 

Não me sinto fatigado,

 

Nem tão pouco arreliado,

 

De dizer constantemente

 

Que por ti sou apaixonado!

 

Tirando enganos e confusões,

 

Leva-me a teu lado,

 

Vamos brincar junto ao mar,

 

Rir, curtir e queimar

 

Este rastilho de emoções.

 

É sempre nestas situações

 

Que penso interiormente:

 

Coitadinhos dos corações

 

Que têm outra coisa em mente.

 

15.10.2008

 

João Pereirinha